O complexo granítico de São Sepé, Rio Grande do Sul e a evolução das rochas graníticas da região orogênica do sudeste

Pedro Luiz Sartori, Nabor Ricardo Rüegg

Resumo


É proposto modelo de evolução para as rochas graníticas da Região Orogênica do Sudeste da América do Sul, baseado principalmente em dados obtidos em pormenorizado estudo do Complexo Granítico de São Sepe, Rio Grande do Sul. O seguinte esquema parece ser aplicável a essas rochas: 1. Rochas graníticas de composição variável entre termos granodioritos e granitos monzoníticos, freqüentemente com texturas inequigranulares e, por vezes, exibindo disposição orientada dos componentes mineralógicos. SIN-TECTÓNICOS: 700 - 610 m. a. (paroxismo a 650 m. a.) 2.Granitos equigranulares com predominancia de cor rosa avermelhada (eventualmente cinza clara) de natureza sub-alcalina que se associam às rochas anteriores ou formam plutões independentes, gerando nas rochas encaixantes efeitos de metamorfismo de contato. PÓS-TECTÔNICOS: 570 - 500 m. a. 3. Rochas vulcânicas ou sub-vulcânicas ácidas e piroclastos associados de composição predominantemente riolítica que se ligam estrutural e/ou cronologicamente aos granitos pós-tectônicos. PÓS-TECTÔNICOS: 520 - 430m. a.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.