Geocronologia do complexo máfico-ultramáfico alcalino de Santa Fé, Goiás

Aledir P Barbour, Vicente A. V Girardi, Koji Kawashita, Ana Maria S. de Souza

Resumo


O complexo máfico-ultramáfico alcalino de Santa Fé é formado principalmente por dunitos, peridotitos e piroxenitos exibindo grosseira disposição concêntrica. Missouritos, malignitos e fonolitas ocorrem em quantidades subordinadas. Essexitos formam corpo menor a W do maciço principal. As rochas encaixantes são gnaisses quartzo-feldspáticos, geralmente pobres em máficos e localmente portadores de bandas anfibolíticas. Ao sul da área ocorrem arenitos devonianos capeando tais rochas, que são por sua vez cortados por diques de lamprófíro (minette). As idades potássio-argônio foram efetuadas em cinco amostras, obtendo-se os seguintes valores: essexito 74,4 (± 3,4) m.a. missourito 84,7 (± 1,8) m.a. lamprófíro 86,6 (± 4,5) m.a. e malignitos 82,6 (± 4,5) m.a. e 88,4 (± 2,7) m.a. Tais dados mostram boa concordância com outros complexos do Grupo Iporá, reafirmando sua idade Cretáceo Superior. As determinações rubídio-estrôncio efetuadas nos gnaisses encaixantes propiciaram a elaboração de isócrona de 467 (± 10) m.a., fato que posiciona tais rochas no Ciclo Brasiliano.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.