Gênese da bauxita de Lages - SC

S. M. B Oliveira

Resumo


Este trabalho trata dos produtos de alteração intempérica das rochas alcalinas do distrito de Lages, estado de Santa Catarina, que constituem a mais meridional ocorrência de bauxita conhecida no continente sul-americano. A alteração destas rochas sob condições adequadas de temperatura e disponibilidade de água levou à formação de um depósito de bauxita de 5. 10(6) tons com Al2O3 >; 50%. As características mineralógicas e químicas dos diferentes horizontes do perfil de alteração, da rocha fresca até os níveis superiores, são descritas. Ocorre uma transformação da assembléia mineral primária (K-feldspato, nefelina e egirina) em uma assembléia secundária composta de gibbsita e goethita ou de halloisita/caolinita e goethita. É um processo de laterização que envolve lixiviação da sílica e álcalis e concentração de alumina, como é demonstrado pelos cálculos isovolumétricos. A análise destes dados sugere que a textura e estrutura da rocha, juntamente com a posição topográfica do perfil são os principais fatores que controlam o processo de bauxitização. O depósito de Lages é comparado com outros depósitos similares desenvolvidos sobre rochas alcalinas como Poços de Caldas e Arkansas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-8986.v16i0p46-81

Apontamentos

  • Não há apontamentos.