Lamelibrânquios triássicos de Rio Claro (Estado de São Paulo)

Josué Camargo Mendes

Resumo


No presente trabalho o autor estuda uma coleção de lamelibrânquios triássicos da série Corumbataí por ele próprio organizada no Município de Rio Claro, Estado de São Paulo. Coleções menores da mesma região foram versadas por K. Holdhaus (1918) e C. Reed (1932). O bom estado geral de conservação dos espécimes da atual coleção tornou possivel a observação de particularidades morfológicas e a discussão dos valores sistemáticos anteriormente conferidos. São propostos dois novos generos, Jacquesia e Pinzonellopis, para formas referidas antes por Reed, respectivamente, aos gêneros Myophoriopis Whõrm anne Pachycardia Hauer e descritas quatro novas espécies: Pseudocorbida camaquensisy P. trianguiaris, Anodontophora intricans e Pinzonella trigona. O total das espécies registradas é de 16 (Reed registrou um total de 9), distribuidas por 2 horizontes faunística e litológicamente distintos. Duas das conchas referidas por Reed, Pachycardia neotropica e Myophoriopis cf. carinata, não foram verificadas pelo autor. Com exceção das 4 entidades novas e duma forma não determinada especificamente, as demais constituem espécies já assinaladas nêsse ou em outros pontos do íriássico do Sul do Brasil. A malacofauna dos dois horizontes fossilíferos estuda­ dos, é idêntica às triássicas conhecidas de outras localidades do Sul do Brasil, bem como do Uruguai e Paraguai. Quanto ao valor cronológico da associação, parece que as 'evidências continuam favorecendo a idade triássica superior, proposta por Reed, apesar das alterações sistemáti­cas aqui introduzidas. Só estudos futuros, entretanto, poderão fornecer elementos mais seguros para uma avaliação sa­tisfatória.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2526-3862.bffcluspgeologia.1944.121764

Apontamentos

  • Não há apontamentos.