MUDANÇAS PALEOAMBIENTAIS BASEADAS EM PALINOFÁCIES DO INTERVALO ALBIANO – MAASTRICHTIANO DA BACIA PERNAMBUCO, NORDESTE DO BRASIL

JUAN DAVID VALLEJO RAMÍREZ, MARCELO DE ARAUJO CARVALHO, VIVIANE SEGUNDO FARIA TRINDADE, SÔNIA MARIA OLIVEIRA AGOSTINHO DA SILVA, MARIO LIMA FILHO

Resumo


Com o intuito de inferir condições paleoambientais para o Cretáceo da Bacia de Pernambuco, análises de palinofácies foram realizadas em 26 amostras coletadas no poço IATE 1-LABIO-PE3. O estudo compreende o intervalo Albiano-Maastrichtiano representado pelas formações Cabo, Estiva, Itamaracá e Gramame. Seis associações de partículas de matéria orgânica foram estabelecidas: Matéria orgânica amorfa (MOA), Opacos, Não-opacos, Degradados, Esporomorfos e Marinhos. As mudanças na abundância das partículas orgânicas permitiram a identificação de quatro intervalos paleoambientais, que coincidem com as formações estudadas. Os resultados indicam uma mudança de paleoambientes marinho muito raso com influência fluvio-deltaica para um marinho mais aberto, refletindo uma progressiva influência marinha na seção estudada.


Palavras-chave


Bacia de Pernambuco; Variações do nível do mar; Cretáceo; Matéria orgânica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2018_3_186_194

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank