O registro fossilífero de metazoários ediacaranos na América do Sul e suas implicações nos estudos sobre origem e complexificação da vida animal

Bruno Becker Kerber, Ana Lucia Zucatti da Rosa, Sandra Garcia Gabas, Juliana de Moraes Leme, Mírian Liza Alves Forancelli Pacheco

Resumo


O Período Ediacarano marca o aparecimento dos primeiros organismos macroscópicos complexos no registro fóssil. Evidências atuais indicam que a biota de Ediacara é composta tanto por animais quanto por grupos de protistas gigantes extintos, além de algas e outros organismos sem afinidades comprovadas com representantes modernos. Fósseis dessa biota foram documentados em pelo menos 40 localidades no mundo. Na América do Sul, fósseis de metazoários ediacaranos são encontrados no Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. Na maioria dessas localidades, são encontrados fósseis do último momento evolutivo da biota ediacarana, capazes de realizar esqueletogênese, tais como Cloudina e Corumbella, correlatos a assembleia Nama. Essa novidade evolutiva surgiu, provavelmente, em resposta a pressões de predação e mudanças químicas nos oceanos. Recentemente, foram encontrados fósseis de organismos de corpo mole, típicos de outra assembleia ediacarana (White Sea), em Santa Catarina (Brasil). Essa ocorrência é de grande relevância, uma vez que representa a única descoberta na América do Sul que apresenta organismos dessa assembleia. Este trabalho tem por objetivo compilar as ocorrências da biota de Ediacara na América do Sul, bem como discutir a importância da inserção e dos estudos dessas ocorrências no cenário mundial no escopo de uma das mais importantes questões da Paleobiologia: a origem e a evolução dos animais na Terra.

Texto completo:

PDF EPUB


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z1519-874X201300030006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank