Contribuição geofísica ao estudo do Batólito Granítico Santa Helena, sudoeste do Cráton Amazônico

Vanessa Biondo Ribeiro, Marta Silvia Maria Mantovani

Resumo


O Batólito Santa Helena é alvo de muitas divergências referentes à sua extensão geográfica, constituição litológica, caracterização geoquímica e ambiente geotectônico. Este trabalho visa, a partir da utilização de dados geofísicos (gamaespectrometria e aeromagnetometria), contribuir para um melhor entendimento dessa intrusão. Os dados aerogeofísicos utilizados foram obtidos através da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais, atual Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que contratou os aerolevantamentos sobre a região estudada. Diante da variedade composicional das rochas que compõem o batólito, foram analisados o contraste de susceptibilidade (magnetometria) e a variação de distribuição dos radioelementos (K, Th e U, medidos por gamaespectrometria). A assinatura geofísica resultante apresenta diferenças entre a parte norte e sul do Batólito Santa Helena, sugerindo sua divisão em duas partes distintas. O limite entre essas duas suítes internas coincide com a localização de um sistema de lineamentos magnéticos que se estendem através do batólito com direção aproximadamente N75°W.

Palavras-chave


Gamaespectrometria;Magnetometria;Batólito Santa Helena

Texto completo:

PDF EPUB


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z1519-874X2012000200005

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank