O maciço alcalino de Tunas, PR: novos dados geocronológicos

Oswaldo Siga Júnior, Celso de Barros Gomes, Kei Sato, Cláudia Regina Passarelli

Resumo


A intrusão de Tunas, de forma alongada para NW-SE e ocupando área de 22 km², ocorre a aproximadamente 80 km da cidade de Curitiba e está encaixada em terrenos metavulcanossedimentares pré-cambrianos do Grupo Açungui. Cinco estruturas vulcânicas de contorno subcircular são reconhecidas. Do ponto de vista petrográfico, o maciço consiste principalmente em sienitos e álcali sienitos, com presença subordinada de gabros alcalinos, essexitos, sienogabros e sienodioritos; pequenos diques, de formação tardia e natureza sienítica, e brechas magmáticas estão também presentes. Idades K-Ar obtidas anteriormente (valor médio de 82,2 Ma) indicam que as rochas de Tunas são do Cretáceo Superior. Neste trabalho são apresentadas novas determinações,utilizando-se do método U-Pb em cristais de zircão de rochas sieníticas (ID-TIMS, 82,7 ± 0,7 Ma; SHRIMP, 84,7 ± 1,2 Ma),que confirmam essa idade e permitem colocar Tunas no grupo de intrusões alcalinas do Cretáceo Superior associadas tectonicamente com o Lineamento São Jerônimo-Curiúva, uma feição estrutural ligada ao Arco de Ponta Grossa, de orientação NW-SE, na região Sudeste do Brasil.

Palavras-chave


geocronologia;magmatismo alcalino;maciço alcalino de Tunas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/z1519-874x2007000200005

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank