Os granitóides brasilianos da faixa de dobramentos Paraguai, MS e MT

Antonio Misson Godoy, Amarildo Salina Ruiz, Jefferson Cassu Manzano, Larissa Marques Barbosa de Araújo-Ruiz

Resumo


A Província Granítica Brasiliana do sudeste mato-grossense encontra-se relacionada à evolução do Cinturão Paraguai e pode ser distinta em dois grandes grupos e/ou eventos magmáticos. A parte sul, aflorante no Estado do Mato Grosso do Sul, é constituída pelos maciços Taboco, Rio Negro, Coxim e Sonora, na forma de pequenas intrusões alongadas segundo NE-SW, enquanto na parte norte, os corpos apresentam dimensões batolíticas e são constituídos pelos maciços São Vicente, Araguaiana e Lajinha, que afloram no Estado do Mato Grosso. Os granitóides da parte norte são classificados como do Tipo I, cálcio-alcalino potássico a alto potássio, peraluminosos a metaluminosos, gerados em ambiente de colisão continental e/ou de descompressão pós-colisional. Os granitóides da parte sul são do Tipo I, cálcio-alcalinos potássico a alto potássio, peraluminosos a subordinadamente metaluminosos, gerados em ambiente sin- colisional de arco continental, com exceção de algumas fácies do Maciço Rio Negro, de ambiente pré-colisional. Os granitóides da parte sul apresentam menor proporção de SiO2 e K2O e comportamento menos diferenciado e evoluído em relação aos do norte. Os quatro corpos da área sul podem ser agrupados em dois conjuntos menores, onde o grau de diferenciação aumenta do setor meridional (Taboco e Rio Negro) para o setentrional (Coxim e Sonora). Os granitóides são caracterizados por um magmatismo gerado com a fusão de material da crosta inferior e sugerem formação a partir de magmas de composições diversificadas e não cogenéticos, apresentando grau de diferenciação distinto, que alcançam ambientes mais estáveis de consolidação ao final do evento colisional no SE do Craton Amazônico.

Palavras-chave


litogeoquímica;granitos;Craton Amazônico;Grupo Cuiabá

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/z1519-874x2007000100003

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank