Datação U-Pb em zircão por SHRIMP de granitos Neoproterozoicos da porção oriental do Domínio São Roque, Faixa Ribeira

Ingrid Souto Maia Lamoso, Valdecir de Assis Janasi

Resumo


Foram obtidas, por (SHRIMP), idades U-Pb em cristais de zircão de quatro plútons graníticos da porção mais oriental do Domínio São Roque. Os resultados indicam que o pico da granitogênese foi concentrado em um curto intervalo de tempo (606–589 Ma), o mesmo daquele de colocação dos granitos na porção central do Domínio São Roque. Os dois biotita granitos porfiríticos (Morro Azul e Imbiruçu) apresentam as idades mais antigas obtidas (601.0 ± 4.9 Ma e 606.3 ± 4.8 Ma, respectivamente), além de possuírem cristais de zircão com núcleos herdados de mesma idade (~2.1–2.0 Ga), contudo estes não são comagmáticos. O maciço Morro Azul tem assinatura geoquímica similar a outros granitos cálcio-alcalinos de alto potássio típicos do Domínio São Roque, enquanto o maciço Imbiruçu possui uma razão Sr/Zr muito maior que estes, assim como outras características químicas, o que implica fontes distintas. Outras duas ocorrências datadas são muito diferentes umas das outras e dos granitos cálcio-alcalinos de alto potássio. A idade do tonalito Morro do Pão (589.1 ± 5.5 Ma) indica que este é mais jovem, apesar de possuir caráter mais deformado. Valor similar, apesar da grande incerteza, é apresentado pelo leucogranito peraluminoso Serra dos Índios (593 ± 12 Ma). Isso sugere que, logo após o principal episódio de magmatismo de alto potássio, o Domínio São Roque testemunhou a colocação de granitos com uma variedade composicional muito ampla, formando pequenos corpos que registram deformação associada com tectônica transcorrente.


Palavras-chave


Geocronologia; Geoquímica; Domínio São Roque; Magmatismo granítico; SHRIMP; Faixa Ribeira.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v19-148374

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank