Compartimentação fisiográfica pela análise integrada: estudo de caso no município de Casa Branca (SP)

Ana Maria Carrascosa do Amaral, Fábio Augusto Gomes Vieira Reis, Lucilia do Carmo Giordano, Claudia Vanessa dos Santos Corrêa, Camila Jardinetti Chaves

Resumo


Existem vários procedimentos de espacialização e individualização de unidades do meio físico, como as técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento. A compartimentação fisiográfica pode ser realizada por processos de fotointerpretação sistemáticos de imagens de satélite, pela análise das propriedades da rede de drenagem, a partir da homogeneidade e similaridade das unidades da paisagem. A vantagem da aplicação dessa técnica no planejamento ambiental consiste na geração de um único produto cartográfico seccionado em várias unidades da paisagem, que resumem características de relevo, geologia e uso da terra. O objetivo da pesquisa foi fazer a compartimentação fisiográfica do município de Casa Branca (SP), tendo como base a integração de dados de análises de imagens de satélite, produtos cartográficos e características geológicas e geomorfológicas. O município sofre com problemas relacionados à falta de planejamento urbano e desenvolvimento de processos erosivos. Pela análise dos resultados obtidos, conclui-se que a metodologia adotada para a pesquisa mostrou-se bastante eficiente. Portanto, espera-se que a presente pesquisa possa dar suporte às decisões de planejamento urbano no município de Casa Branca e que os procedimentos descritos possam servir de base para a elaboração de zoneamentos geoambientais em outros municípios.

Palavras-chave


Compartimentação fisiográfica; Análise integrada; Fotointerpretação.

Texto completo:

PDF EPUB


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v15i1p15-28

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank