Geologia e geocronologia do Charnockito São Francisco Xavier e do Gabronorito Ribeirão do Paiol (MG/SP) e suas possíveis relações com processos crustais extensionais nos orógenos Brasília Meridional e Ribeira Central

Rodrigo Vinagre da Costa, Rudolph Allard Johannes Trouw, Julio Cezar Mendes

Resumo


Na região entre as cidades de São Francisco Xavier, Monteiro Lobato, Campos do Jordão e São Bento do Sapucaí, estão expostas rochas metamórficas de fácies granulito de média pressão a anfibolito, associadas a Nappe Socorro e ao Terreno Embu. O Gabronorito Ribeirão do Paiol e o Charnockito São Francisco Xavier constituem corpos magmáticos encaixados em metagranitoides do Batólito Serra da Água Limpa. O Gabronorito Ribeirão do Paiol é isotrópico, tem textura inequigranular seriada hipidiomórfica a xenomórfica e idade de cristalização U-Pb LA-ICPMS de 534 ± 6 Ma. O Charnockito São Francisco Xavier possui textura isotrópica, equigranular a inequigranular seriada hipidiomórfica a xenomórfica e idade de cristalização entre 579 ± 5 Ma (núcleo dos grãos) e 562 ± 8 Ma (borda dos grãos), compatível com a evolução da Faixa Ribeira Central. O geotermômetro baseado em saturação de zircônio em rocha total aponta temperatura de cristalização de aproximadamente 880ºC para o charnockito. Os dois corpos exibem valores de εNd (t) negativos (-7,32 para o gabronorito e -12,41 para o charnockito), indicando contaminação e /ou origem crustal do magma gerador de ambos.


Palavras-chave


Faixa Brasília Meridional; Faixa Ribeira Central; Geocronologia; Rochas magmáticas.

Texto completo:

PDF EPUB


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v18-401

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank