Evolução petrogenética e tectônica do evento Cariris Velhos na região de Afogados da Ingazeira (PE), terreno Alto Pajeú, Província Borborema

Alberto de Oliveira Sales, Edilton José dos Santos, Edmilson Santos de Lima, Lauro Cézar Montefalco de Lira Santos, Benjamim Bley de Brito Neves

Resumo


O evento Cariris Velhos foi investigado numa área em torno da cidade de Afogados da Ingazeira, Pernambuco, Nordeste do Brasil, situada no terreno Alto Pajeú, um domínio composto toniano-ediacarano da Província Borborema. Nesta área as rochas metassupracrustais do Complexo São Caetano são formadas por biotita-muscovita paragnaisses e gnaisses quartzo-feldspáticos, de protólito arcosiano ou vulcânico félsico, com intercalações de mármores e quartzitos. Sua história deformacional começou com um episódio tangencial D1/D2, cujo metamorfismo variou do fácies xisto verde ao anfibolito, sendo marcado pela intrusão de sheets de ortognaisses. O episódio subsequente D3, de caráter extensional foi marcado pela injeção de diques de metadioritos, os quais foram fortemente transpostos pelo episódio posterior D4, de natureza transcorrente. A principal estrutura deste episódio transcorrente é a zona de cisalhamento de Afogados da Ingazeira (ZCAI), cuja idade ediacarana é bem calibrada pela intrusão contemporânea do granito de Solidão, datado em 574 ± 74 Ma. Um estudo geoquímico das rochas metassedimentares indica que os protólitos do bloco SE da ZCAI são grauvacas, enquanto que os do bloco NW representam grauvacas, litoarenitos e arcóseos, mas o padrão de terras raras normalizado para o NASC (North American Shale Composite) não mostra grandes diferenças composicionais entre elas. Possuem assinatura geoquímica de sedimentação sinorogênica, transicionando entre sedimentos derivados de arcos de ilhas oceânicos a continentais. Os padrões geoquímicos dos ortognaisses também são indicativos de ambiente de arco magmático, confirmando conclusões encontradas por outros autores no estudo das rochas metavulcânicas do terreno Alto Pajeú. A descoberta do evento extensional D3 pré-transcorrência sugere que a deformação tangencial D1/D2 e o metamorfismo associado devem estar relacionados a evento orogênico, o que confirmaria a existência da orogênese Cariris Velhos.

Palavras-chave


Nordeste do Brasil;Província Borborema;Terreno Alto Pajeú;Evento Cariris Velhos;Faixa metavulcano-sedimentar toniana-ediacarana

Texto completo:

PDF EPUB


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z1519-874X2011000200006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank