Estratégia e Propostas Alternativas para Mudanças Curriculares do Curso de Graduação em Geologia da USP

Rômulo Machado

Resumo


Este trabalho discute a estratégia para a reforma curricular do curso de Geologia da Universidade de São Paulo e apresenta duas propostas alternativas: uma que considera a mesma base curricular vigente e outra que considera uma base curricular diferente. A primeira proposta mantém o formato da estrutura curricular seriada em ciclos de disciplinas (básico, especí­fico, aplicado), porém introduz a interdisciplinaridade (disciplinas de conteúdo temático) e a flexibilização curricular no final do curso (disciplinas de conteúdo complementar), e propõe a incorporação no ciclo básico - ao lado de Matemática, Estatí­stica, Fí­sica, Química, Biologia e Geologia Geral - de disciplinas como Teoria e Método, Economia e Planejamento, Administração e Relações Humanas. A segunda proposta propõe repensar a estrutura curricular do curso de Geologia a partir de novos paradigmas, paradigmas estes que devem estar em sintonia com as novas formas de organização de trabalho e de abordagem dos problemas nas empresas. Nesta proposta, os conteúdos curriculares são organizados e desenvolvidos segundo eixos (em geral, três), sendo um deles o eixo principal do curso. A proposta é exemplificada pelo curso de Gestão Ambiental da USP Leste, cuja concepção curricular segue três eixos: ciências de gestão ambiental, ciências da natureza e ciências humanas. Ao longo do curso estes eixos são articulados por meio de disciplinas relacionadas com grandes temas da Área ambiental designadas Resolução de Problemas.

Palavras-chave


Currículo; Estrutura; Propostas; Estratégia; Flexibilização.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9087.v4i0p11-21

Apontamentos

  • Não há apontamentos.