PALEOAMBIENTES E CARACTERIZAÇÃO TECNOLÓGICA PARA FINS CERÂMICOS DA FORMAÇÃO ARAÇATUBA NO VALE DO RIO SANTO ANASTÁCIO (BACIA BAURU, SP)

Daniel Seabra Nogueira Alves ALBARELLI, Alessandro BATEZELLI, Marsis CABRAL JUNIOR

Resumo


A Formação Araçatuba abriga rochas essencialmente pelíticas de ambiente lacustre, pertencentes à Bacia Bauru (Cretáceo Superior), com ocorrências no centro-oeste do estado de São Paulo. Diversos trabalhos já foram realizados sobre esta formação nas regiões de vales dos rios Tietê, Aguapeí (ou Feio) e do Peixe, com enfoques estratigráficos e sedimentológicos. Levantamentos prospectivos recentes de argila para suprir o setor de cerâmica vermelha no oeste do estado permitiram a identificação de afloramentos pelíticos desta unidade no vale do Rio Santo Anastácio. Através da descrição de seções colunares e análise de fácies, foram identificados três ambientes  deposicionais (lacustre, fluvial efêmero e eólico), cuja  sedimentação ocorreu em clima árido e semi-árido. O ambiente lacustre recebia esporadicamente sedimentos de rios efêmeros e fluxos de lama em períodos de chuvas torrenciais, sendo colmatado por depósito eólicos (dunas e ripples) nos períodos de seca. As análises laboratoriais de caracterização cerâmica mostraram resultados satisfatórios para uso dos horizontes pelíticos como matéria-prima para fabricação de produtos de cerâmica vermelha.

Palavras-chave


Bacia Bauru; Formação Araçatuba; Fácies lacustre; Matérias-primas; Cerâmica vermelha.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank