RELAÇÕES HIDROQUÍMICAS APLICADAS A AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA NA BACIA DO CÓRREGO IBITINGA, RIO CLARO (SP)

Sergio Ricardo CHRISTOFOLETTI, Fabiano Tomazini da CONCEIÇÃO, Eder Paulo SPATTI JUNIOR

Resumo


Este trabalho avaliou a qualidade da água fluvial na bacia do Córrego Ibitinga, localizada no município de Rio Claro (SP), proporcionando informações a um diagnóstico dos recursos hídricos nesta bacia hidrográfica e, consequentemente, ao planejamento ambiental da Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade. Cinco pontos de amostragem foram escolhidos e as campanhas de campo realizadas entre agosto e dezembro de 2010, período que compreende a variação sazonal mais extrema na vazão do Córrego Ibitinga, sendo analisado: vazão, temperatura, pH, oxigênio dissolvido, condutividade elétrica, sólidos totais dissolvidos, sólidos totais em suspensão, Ca2+, Na+, K+, Mg2+, SO42-, NO3-, PO43-, HCO3- F- e Cl-. As relações hidroquímicas demonstraram que as características das águas fluviais da bacia do Córrego Ibitinga sofrem alterações não somente pelos processos de intemperismo das rochas desta bacia hidrográfica, mas também pelo uso da terra, principalmente o cultivo de cana de açúcar, na região à montante da Floresta Estadual, provocando o assoreamento e eutrofização da represa localizado na região central desta floresta. Assim, programas de mitigação e recuperação de áreas degradadas devem ser adotados na área agrícola a montante da Floresta Estadual, além de programas de educação ambiental e conscientização da sociedade do município de Rio Claro sobre a preservação e conservação das águas fluviais da bacia do Córrego Ibitinga.

Palavras-chave


Geoquímica de águas fluviais; Bacia hidrográfica; Uso da terra; Influências antropogênicas; Gerenciamento ambiental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank