ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA CORRELAÇÃO INICIAL ENTRE VARIÁVEIS NOS RESULTADOS DE CO-ESTIMATIVAS

Jorge WATANABE, Jorge Kazuo YAMAMOTO, Marcelo Monteiro da ROCHA, Priscilla Pinto da FONSECA

Resumo


Ainda não se sabe se a correlação amostral constitui fator restritivo à utilização de algum método de co-estimativa. Por isso, este artigo visa analisar as variações que ocorrem nos resultados de diferentes métodos de co-estimativa à medida que o coeficiente de correlação entre as variáveis primária e secundária diminui. Para isso, cokrigagem ordinária, cokrigagem ordinária colocalizada e krigagem com deriva externa com e sem correção do efeito de suavização foram aplicadas a cinco conjuntos de dados apresentando diferentes correlações entre a variável primária e a secundária. Todos os métodos tornaram-se menos eficientes à medida que o coeficiente de correlação entre as variáveis diminuiu. Em todos os casos, a cokrigagem ordinária colocalizada apresentou resultados com melhor precisão local e preservação da correlação inicial entre as variáveis. Porém, se o objetivo do estudo também for reproduzir o histograma amostral, a krigagem com deriva externa com correção do efeito de suavização constitui melhor alternativa para conjuntos de dados com alta correlação. Por fim, a utilização da cokrigagem ordinária deve se restringir aos casos em que as variáveis são altamente correlacionadas e escassamente amostradas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank