ANÁLISE HIDROGEOQUÍMICA COMPARATIVO ENTRE OS AMBIENTES CARBONÁTICOS DO ESTADO DA BAHIA – UMA ABORDAGEM ESTATÍSTICA

Maíra SAMPAIO DA COSTA, Sérgio Augusto de Morais NASCIMENTO, Maria da Conceição RABELO GOMES

Resumo


O presente trabalho discute as variações hidrogeoquímicas nas águas subterrâneas dos ambientes carbonáticos do Estado da Bahia. As formações em estudo são: Formação Salitre; formações Sete Lagoas/Lagoa do Jacaré; e Formação Olhos d’água/Jacoca. Os resultados apontam que as formações Olhos d’água/Jacoca apresentam maior concentrações de constituintes químicos, dureza, salinidade e assinatura geoquímica revelando tendências cloretadas e sódicas. A condutividade elétrica apresentou forte correlacão com Na+ e Cl-, componentes pluviométricos. As formações Sete Lagoas/Lagoa do Jacaré apresentaram menor concentração de elementos químicos, dureza, salinidade e assinatura geoquímica revelando tendência bicarbonatada cálcica. A condutividade elétrica apresentou forte correlação com o Na+, Cl-, SO4-2 e HCO3-, indicando contribuição climática e litológicos. Já a Formação Salitre apresentou assinatura geoquímica revelando tendências bicarbonatada, cálcica e secundariamente magnesiana. A condutividade elétrica apresentou forte correlação com o Mg+2, indicando influência de componentes litológicos. Os três ambientes se diferenciaram em relação às médias de Mg+2 e HCO3-2. Já as formações Sete Lagoas/Lagoa do Jacaré se diferenciam das demais devido às médias de Ca+2. Estes resultados foram associados às diferentes distribuições mineralógicas nas litofácies. As formações Sete Lagoas/Lagoa do Jacaré também se diferenciam da Formação Salitre devido às médias de SO4-2, possivelmente associado à variação de concentração de sulfetos nas áreas.


Palavras-chave


Geoquímica; Estatística; Aquíferos cársticos; Bahia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank