RECONSTITUIÇÃO PALEOAMBIENTAL DO QUATERNÁRIO NO ESTUÁRIO DO RIO SANTO ANTÔNIO, ILHA DO MARANHÃO – BRASIL

Ana Lucia BIONDO DA COSTA, Leonardo Gonçalves de LIMA, Claudia KLOSE PARISE, Jorge Hamilton Souza dos SANTOS, André Luis Silva dos SANTOS, Francisco das Chagas de CARVALHO NETO

Resumo


As variações do nível relativo do mar ocorridas durante o Quaternário foram responsáveis pela atual paisagem das zonas costeiras mundiais. Estas alterações seculares do nível do mar, ora transgressivas ora regressivas, deixaram evidências sedimentológicas, estratigráficas, geomorfológicas e paleontológicas que possibilitam a reconstituição paleoambiental desses ambientes. O presente estudo se desenvolveu com base na hipótese de que registros de transgressões e regressões marinhas durante o Quaternário tenham sido preservados na região estuarina do Rio Santo Antônio, extremo leste da Ilha do Maranhão. A partir da interpretação geológica, estratigráfica, sedimentológica e geomorfológica de um afloramento de bioclastos contendo conchas de moluscos bivalves e gastrópodes, foi possível verificar a evidência de um paleonível marinho na margem deste rio. O estudo constatou que os bioclastos acumulados foram resultado de uma condição hidrodinâmica pretérita, provavelmente relacionada ao máximo transgressivo holocênico quando ainda não se fazia presente o esporão arenoso (headlandspit) da Praia de Panaquatira. O mapeamento topográfico do local comprovou que os bioclastos estão situados a +3,20 m acima do nível médio do mar. Os resultados obtidos no presente estudo conduziram a uma proposta de reconstituição paleoambiental da área de estudo.


Palavras-chave


Quaternário; Paleoambiente; Evolução costeira; Paleonível marinho.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank