NOVAS OCORRÊNCIAS DE TUFAS NO VALE DO RIBEIRA (SP)

BRUNA BORTOLUZZI MIRAYA, WILLIAM SALLUN FILHO, LIGIA MARIA ALMEIDA LEITE RIBEIRO, PAULO CESAR BOGGIANI, HELIO SHIMADA

Resumo


No Vale do Rio Ribeira, no Estado de São Paulo ocorrem depósitos de tufas, restritos a algumas drenagens desenvolvidas sobre áreas cársticas. Neste trabalho, são descritas duas novas ocorrências de tufas em afluentes do Rio Ribeira: os depósitos da Cachoeira de Taquaruvira, situada no Córrego Taquaruvira-Bombas (Iporanga, SP) e os depósitos de um afluente do rio Catas Altas (Ribeira, SP). Estas novas ocorrências de tufas, juntamente com as da Serra do André Lopes, são as únicas conhecidas na região e consideradas as de posição mais meridional dentre os depósitos descritos no Brasil. A primeira ocorrência está associada à área cárstica de Bombas (a montante) e apresenta depósitos em cachoeira já erodidos. A segunda está situada próxima a um pequeno corpo carbonático (não identificada como sendo uma área cárstica), e apresenta dois depósitos: o primeiro ativo, de tufas em cachoeira (que ocorre onde a drenagem possui maior gradiente hidráulico e recarga totalmente autogênica); e um outro inativo, de ruditos cimentados, mais a jusante (desenvolvido sobre uma superfície de baixa inclinação, com contribuição de recarga alogênica). Os depósitos de tufas descritos são caracterizados como represas e cachoeiras, formados em rios de vertente de bacia de drenagem com predomínio de recarga autogênica.


Palavras-chave


Tufa; Carbonatos continentais; Fitoerma; Quaternário.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank