MAPEAMENTO DO RISCO DE PREJUÍZO COMO MEDIDA DE GESTÃO E ADAPTAÇÃO ÀS INUNDAÇÕES

AMANDA WAJNBERG FADEL, GUILHERME FERNANDES MARQUES, JOEL AVRUCH GOLDENFUM

Resumo


No Brasil, é frequente a abordagem de “gestão de crise” ao lidar com eventos de cheias; enquanto que as medidas preventivas são mais raras. A avaliação do risco de prejuízo é um aspecto importante ainda não incorporado nas análises de investimentos desse controle, sem o qual torna-se difícil identificar medidas que sejam eficazes sem onerar excessivamente o município ou os usuários. O presente artigo incorpora o risco de prejuízo às metodologias já existentes de estimativas do dano por profundidade de submersão, agregando um ponderador de frequência de recorrência desse dano. Foram utilizados simulação hidráulica e avaliação econômica, possibilitando relacionar a frequência de um evento às profundidades de submersão da mancha de inundação e características socioeconômicas de cada área. Os resultados permitem concluir que em áreas urbanas com densa ocupação consolidada, mesmo com menor magnitude da inundação, o risco pode ser elevado, justificando ações prioritárias para sua mitigação. Já para as localidades mais afastadas do rio, tanto probabilidade quanto ocupação diminuem, reduzindo consequentemente o risco, devido à menor exposição da população ao perigo. Esses resultados estão diretamente relacionados com as características de relevo e o padrão de ocupação, que determinam a caracterização dos danos da planície de inundação da região.


Palavras-chave


Risco de prejuízo; Gestão de risco de inundações; Mapeamento de inundações; Medidas de adaptação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank