MAPEAMENTO DE ÁREAS SUSCETÍVEIS A MOVIMENTOS DE MASSA NO MUNICÍPIO DE VILA VELHA-ES, COM O USO DE ANÁLISE DE PROCESSOS HIERARQUIZADOS (AHP)

JULIA FREDERICA EFFGEN, EBERVAL MARCHIORO

Resumo


Este artigo objetiva analisar a distribuição das áreas de suscetibilidade a movimentos de massa na Região Administrativa 1 do município de Vila Velha (ES). O método utilizado para realização do trabalho foi o de Análise de Processos Hierarquizados (AHP), com a avaliação das variáveis geologia (cobertura superficial), declividade e curvatura horizontal. Verificou-se que os maciços costeiros, na porção norte da área de estudo, são as áreas de maior suscetibilidade, onde ocorre a combinação de coberturas superficiais da formação Maciço Vitória, declividades predominantemente maiores que 17° e curvaturas horizontais apresentando alternância entre divergentes e convergentes. As colinas costeiras apresentam suscetibilidade variando entre média e alta nos terços médio e inferior das encostas, com declividades entre 17-27°, depósitos aluvionares e curvaturas horizontais divergentes e convergentes alternadas. As áreas de planícies têm baixa suscetibilidade a movimentos de massa, com declividades entre 0-11°, coberturas superficiais formadas por depósitos aluvionares e litorâneos e curvatura horizontal retilínea. O modelo de suscetibilidade gerado foi validado em trabalho de campo, onde foram identificadas cicatrizes de movimentos de massa na porção média e alta das encostas, em conformidade com o modelado.


Palavras-chave


Formas de relevo; Suscetibilidade; Área urbana; Análise de Processos Hierarquizados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank