NOTAS PRELIMINARES SOBRE A GEOLOGIA E ESTRUTURA DA SERRA DE SANTANA, ESTADO DE SÃO PAULO

JOSÉ PEREIRA DE QUEIROZ NETO

Resumo


Em relação a folha geológica de Rio Claro, o mapa ora apresentado restringe a área ocupada pelos derrames basálticos. Por outro lado foram mapeados alguns afloramentos que não constavam dessa folha, um deles já tendo sido observado por J. Setzer (1956) na região vizinha a cidade de Itirapina. Com base nos resultados obtidos propomos uma modificação da secção geológica da Serra de Santana, tal com  foi apresentada por F. F. M. de Almeida e O. Barbosa (1953), na Geologia das Quadrículas de Piracicaba e Rio Claro. A possibilidade de existência de uma falha, cujo espelho acompanha os trilhos da Companhia  Paulista de Estradas de Ferro, entre a estação de Ubá e Itirapina, encontra ressonância da direção geral dos afloramentos observados ai e na direção em que se encontram os dois morros testemunhos do Baú e Pelado, cujos perfis foram descritos por J. Setzer (1956).  As observações de campo sobre os sedimentos existentes no reverso da Serra, levam a admitir maior extensão superficial da formação Itaqueri, como, aliás, deixavam entrever os autores da quadrícula citada. Existem além disso, indícios para supor serem eles oriundos, pelo menos em parte, de um retrabalhamento dessa formação.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.